A propriedade cultivada na escola do MST: a Pedagogia do Oprimido na promoção da dignidade humana

Autor: Zanardi, Teodoro Adriano Costa

Primeiro orientador: Saul, Ana Maria

Resumo: Este estudo busca expor o conceito de direito de propriedade que emerge como valor fundamental a ser desenvolvido por escolas vinculadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. A partir de sua luta pela terra, o MST empreende a batalha por uma educação comprometida com a emancipação do educando, visto não somente como um aluno da escola, mas elevado à condição de sujeito do processo de conhecimento, por intermédio do qual busca promover a transformação da sociedade. Ao conjugar a luta pela terra com um projeto educativo libertador, o MST tem na obra Pedagogia do Oprimido, de Paulo Freire, a referência teórica indispensável para a construção de uma nova sociedade, que se opõe francamente ao sistema capitalista fundado no individualismo e no sucesso econômico como um fim em si mesmo. Ao articular uma educação libertadora e a luta pelo acesso aos direitos, especialmente o direito de propriedade, o MST se propõe a construir um sentido ético que impõe uma nova relação da humanidade com a terra, fazendo desta a Morada, ou seja, o lugar de produção e reprodução da vida de todos em plenitude.

Link para Tese: https://sapientia.pucsp.br/bitstream/handle/10143/1/Teodoro%20Adriano%20Costa%20Zanardi.pdf