abril 17, 2018

Colóquio Paulo Freire – Apresentação

Colóquio Paulo Freire

Apresentação

Este colóquio é apenas um ponto de uma esfera mais ampla de reflexão sobre a educação brasileira contemporânea, que vem sendo, realizada pela Universidade Metropolitana de Santos – UNIMES, no Núcleo de Educação a Distância desde a sua constituição.

Foi desta maneira que, alimentados por um sonho, realizamos o I Colóquio: 95 anos de Paulo Freire, por meio de web conferências, refletindo sobre os ensinamentos deixados pelo grande mestre – Patrono da Educação Brasileira – e que de forma indelével, têm nos feito mais educadores.

Assim, “O ensinar-aprender freireano” pelas docentes, Profª Dra. Elisabeth dos Santos Tavares e Profª Doutoranda Angélica Ramacciotti, nos coloca em reflexão sobre o par dialético ensino-aprendizagem, na proposta freireana, que implica um conjunto de posturas e práticas. Nesse sentido, foram elencadas algumas condições necessárias para a realização do processo ensinar-aprender, apresentando-se em seguida o desdobramento dessas condições para tecer a trama conceitual: pode-se afirmar que ensinar-aprender requer, exige e possibilita: leitura do mundo; problematização; autonomia; diálogo; discência/docência e conhecimento.

Em “Diálogo entre Paulo Freire e Milton Santos: democracia e globalização a partir do Sul” os professores Profª Dra. Regina Helena Tunes e Profº Me. Mauricio Lobo nos apresentaram Paulo Freire e Milton Santos, dois pensadores brasileiros que discutiram e fizeram ciência a partir do Sul, e também autores dos mais citados mundialmente com ampla pesquisa que envolve a educação como uma prática libertadora. A abordagem nos levou a refletir especialmente sobre o conceito de democracia em Paulo Freire e em Milton Santos que partem dessa perspectiva para pensar e produzir um pensamento crítico de um outro mundo possível na educação e nas relações sociais.

Os professores Profª Me. Roseli Tonini e Profº Me. Norberto Luiz de França Paul apresentaram “Aproximações teóricas freirianas e o trabalho humano em diferentes dimensões…” com reflexões sobre a Pedagogia de Paulo Freire e a Educação Corporativa com reflexos nos métodos da educação para o trabalho e sua contribuição para as transformações nas práticas de gestão empresarial. Destacaram a importância da humanização na Pedagogia de Paulo Freire e a transferência para as relações de trabalho: qualidade de vida e responsabilidade social corporativa.

Em “Paulo Freire: filósofo da educação” as Profª Me. Juliana Janaina Tavares Nóbrega e Profª Me. Mariza Galvão exaltaram o professor como um dos nomes de referência para o pensamento educacional brasileiro, destacando que apresenta em sua obra elementos norteadores de um pensamento filosófico da educação nacional (e internacional) quando parte de questões problemas fundamentalmente filosóficas em paralelos como: liberdade-opressão-autonomia, política-desigualdade- emancipação, afirmando assim, ser possível um diálogo direto com as discussões de grandes nomes da filosofia mundial que pensaram o contexto não só da escola e educação formal, mas das relações sociais como um todo, revelando que pensar o indivíduo, a sociedade, e a política, é também pensar a educação.

Os professores Profº Dr. Helio Rodrigues Junior e Profª Esp. Doroti de Oliveira Rosa Macedo ao apresentarem o trabalho sobre “A autonomia e a esperança para a formação do professor: um diálogo com Paulo Freire” nos trouxeram as experiências de educadores, ao longo do processo de formação inicial e continuada, que podem nortear a reflexão sobre a ação ao dialogar com as obras de Paulo Freire, Pedagogia da Autonomia e Pedagogia da Esperança, ora ressignificadas, repensando, portanto, situações do cotidiano – que ratificam as exigências básicas para e na formação dos professores – e seus desdobramentos com as visões de mundo e compreensão da vida humana.

“Diálogos entre Freire e Jung: o encontro da psicologia analítica e a pedagogia do oprimido na prática educacional” trazidos pelas professoras Profª Me. Alcielle dos Santos, Profª Me. Mariza Catta Preta e Profª Esp. Any Caroline Ribeiro Silva aproximaram o diálogo entre Freire e Jung , mostraram que a Pedagogia do Oprimido como a Psicologia Analítica, são propostas humanistas que exigem do ser humano moderno consciência e coerência entre a ação e a teoria apreendidas. São teorias que não se fundamentam no poder e, portanto para que educadores se apropriem das mesmas devem necessariamente estar regidos pelo arquétipo da alteridade, proposta só alcançada por aqueles que trazem humildade e determinação suficientes para um profundo autoconhecimento e revisão de sua prática. Apenas com a busca dessa coerência os dois autores acreditam ser possível uma real transformação individual e social para podermos dar um salto qualitativo na Educação.

Os professores Profº Doutorando Felipe Comelli e Profª Me Neuza Maria S. Feitoza em “Educação cidadã, em Paulo Freire” destacaram que pensar uma escola cidadã em Paulo Freire significa pensar a escola como “um centro de direitos e deveres”, de diálogo, de democratização desde a gestão aos conteúdos curriculares. Significa valorizar a inclusão, a liberdade e a cidadania, o que também revela que uma escola coerente com essas premissas exige uma transformação na formação dos professores, torná-los atores e autores da mudança e corresponsáveis pelas escolhas e resultados.

No encerramento do colóquio as professoras Profª Dra. Elisabeth dos Santos Tavares, Profª Dra. Mariângela Camba e Profª Me. Neuza Maria
S. Feitoza nos levaram a uma reflexão sobre “Política e Educação em Freire” ,destacando que a educação para Freire está sempre carregada de uma politicidade, a prática educativa e a reflexão sobre essa prática são atos políticos: de escolha, de decisão, de luta entre contrários, de conquista de cidadania negada. Portanto, há inseparabilidade do político com o educativo cada qual com a definição das respectivas especificidades.

O “Colóquio Paulo Freire” se dá com a criação da CÁTEDRA PAULO FREIRE na nossa universidade. A criação da CÁTEDRA traduz o reconhecimento de nossa Instituição e da sua Comunidade Acadêmica ao significado da contribuição do Professor Paulo Freire para a educação e para a sociedade, e que há muito se consagrou como valor nacional e internacional.

Além da materialização de nosso reconhecimento ao “Professor do Mundo”, pretendemos fazer da CÁTEDRA PAULO FREIRE um espaço de fomento à reflexão, ao estudo, à produção de conhecimento e a sua socialização, viabilizando-se, assim, a “boniteza” da transformação, sempre inspirados nos legados das obras de Paulo Freire. A essência do pensamento freireano, de valor que ultrapassa as fronteiras geográficas e temporais, faz-se oportuno e, mesmo, urgente no momento em que convivemos com profundas mudanças no mundo e no país e que nos obrigam a reflexões e reformulações intensas nos processos de educação política e de educação escolar.

Reafirmando a pretensão da nossa CÁTEDRA Paulo Freire em construir um espaço dinâmico e dialógico de conhecimento sobre as vertentes do Mestre, além da função do reconhecimento a ele devido, o lançamento deste livro é assim, a primeira de muitas produções que virão, mesclando o pensamento freireano como memória e como atualidade.

Agradecemos a todos da Universidade Metropolitana de Santos que direta ou indiretamente trabalharam conosco para que a participação coletiva, envolvendo alunos e professores de diferentes universidades, resultasse em momentos inesquecíveis de socialização do saber, traduzidos, alguns deles, nos textos de que você, leitor, passa então a dispor.